O pai te ajuda? Pois NÃO deveria!: o machismo diário na ajuda paterna

Tem algum tempo que isso me incomoda. Mesmo antes de eu ser mãe, a pergunta “seu marido te ajuda?” já me causava calafrios. Já me disseram que é preciosismo meu, que fico me apegando as coisas pequenas como uma pequena palavra. A-JU-DA. Recorri ao dicionário para me explicar melhor. Lá, a palavra AJUDA está assim Read more about O pai te ajuda? Pois NÃO deveria!: o machismo diário na ajuda paterna[…]

Natal, consumo e a falsa ideia de felicidade

A casa dorme. São três horas da tarde e entramos naquele estágio da soneca vespertina. O silêncio temporariamente impera. Para alguém que não tem filhos, momentos de silêncio podem nem ser valorizados, mas depois que as crias nascem, essas horas são verdadeiros bálsamos. Por incrível que pareça – e isso é realmente incrível! –, encontro Read more about Natal, consumo e a falsa ideia de felicidade[…]

Mais um pouquinho da maternidade idealizada: qual ideal anda sua realidade?

No último fim de semana, eu e um grupo de amigas nos reunimos para um encontrinho gostoso, regado à muita prosa e quitutes juninos. Até aí, nada de diferente, tudo natural como qualquer grupo de amigas faz, se não fosse por um detalhe básico: todas nós temos filhos ainda pequeninos, que não chegam aos três Read more about Mais um pouquinho da maternidade idealizada: qual ideal anda sua realidade?[…]

Da importância do brincar (ou O que você vai ser hoje?)

Lá vem a guerreira em seu cavalo branco – ou melhor, cor de rosa. Passeando pelas montanhas, atravessando rios, percorrendo vales. Encontrando com os animais, enfrentando os mais diferentes desafios. Quando menos se espera… onde está a guerreira? Ela virou maquinista, está dirigindo seu trem, devagar, devagar, e agora em alta velocidade… Piuiiiiiiiiiií! E o Read more about Da importância do brincar (ou O que você vai ser hoje?)[…]

Em busca da alimentação saudável: os desafios e medos de uma mãe de primeira viagem

Hoje quero falar sobre um assunto que pode até parecer bobo para alguns, mas que, para mim, é de importância extrema:alimentação. Depois dos seis meses de amamentação exclusiva, chega a hora da temida “introdução alimentar” e nem sempre os pais se sentem prontos e preparados para essa nova fase. Para o bebê, é uma descoberta! Read more about Em busca da alimentação saudável: os desafios e medos de uma mãe de primeira viagem[…]

Da primeira grande separação: é hora de escola!

Foram meses e meses juntas, dividindo o mesmo ar, ouvindo as risadas, os choros, vendo cada primeira vez – do comer, do rir, do rolar, do sentar, do engatinhar… TUDO. Cheguei a ensaiar uma separação, por meio período – ela tinha quatro meses -, mas não chegou a quinze dias. Me remoía ter que sair Read more about Da primeira grande separação: é hora de escola![…]

O nascimento de Marina

Era sábado de manhã, dia 22 de março. Acordei cedo pois tinha marcado de fazer a unha, mas senti que cólicas começavam a dar sinal, pareciam cólicas menstruais. Ao ir ao banheiro, percebi algo diferente: será que isso é o tampão que falaram na “aula” sobre trabalho de parto? Sim, fiz uma bizarrice: tirei foto Read more about O nascimento de Marina[…]

As razões do meu parto domiciliar

Desde que fiquei grávida, tinha claro em minha mente que queria um parto normal. Isso era algo muito certo, mais certo do que o nome do bebê que estava por vir (que foi difícil decidir!). Pra mim, gestação era algo natural, fisiológico, e como tal, não havia a necessidade de intervenções médicas e/ou cirúrgicas. Mas Read more about As razões do meu parto domiciliar[…]

Da maternidade ideal à vida real: vamos amamentar?

Você está lá, grávida. Pode ter descoberto há pouco tempo, pode já estar com aquela pesada barriga de seis meses, ou ainda pode estar contando os dias no calendário “40 semanas, 40 semanas e dois dias…”, apenas aguardando a boa vontade de seu rebento. Durante esses quase dez meses de gestação, muita coisa passou pela Read more about Da maternidade ideal à vida real: vamos amamentar?[…]

Pequenas doses de felicidade

Sentada em minha cadeira a observo. Suas mãos ágeis, seus gritos, suas falas incompreensíveis. Suas pernas um tanto bambas, um tanto fortes. Sua risada, ah, sua risada… Daquele tipo que dá vontade de gravar e ficar ouvindo initerruptamente. Tateia daqui, tateia dali. “Experimenta” algumas coisas – a boca é o sensor dos bebês! -, joga Read more about Pequenas doses de felicidade[…]