As férias do Pedroca: Praia do Forte – BA

No ano passado, quando o Pedro estava com apenas 8 meses, passamos nossas férias em Londres. A ideia não foi das melhores, confesso. A viagem, além de longa, não foi muito proveitosa. Como ele era pequeno, não conseguimos passear e conhecer muitas coisas, então, pra não passar o mesmo aperto esse ano, pensamos em passar nossas férias em um lugar tranqüilo e com praia. Há cinco anos, eu e maridão fomos para a Praia do Forte na nossa lua-de-mel e ficamos hospedados no Iberostar Praia do Forte. Na época eu amei de paixão o resort, e lembro de ter ficado encantada com a quantidade de espaços e atividades oferecidas pro público infantil. Por conta disso, resolvemos arriscar e voltar lá com o Pedroca.

A Praia do Forte é uma vila do município de Mata de São João, que fica pouco mais de 50 km de Salvador. A viagem pra chegar lá dura cerca de 1 hora, e a estrada é boa. Na região de Praia do Forte há uma série de hotéis que oferecem o sistema all inclusive, além da própria vila, cheia de restaurantes, lojas variadas e a sede do Projeto Tamar.

DSC_0634

Praia do Forte – BA | Fonte: Arquivo pessoal

Apesar do hotel continuar lindo e cheio de atrativos, confesso ter ficado um pouco decepcionada nessa segunda estadia. De cinco anos pra cá, o quadro de funcionários foi visivelmente diminuído, prejudicando bastante o serviço oferecido. O resort é composto por vários conjuntos de prédios onde ficam os hóspedes, dois restaurantes do tipo buffet e tantos outros de comidas específicas, como baiana e oriental, além de espaços coletivos e de atividades para adultos e crianças. Exceto nos restaurantes e áreas livres, a falta de manutenção era clara: paredes precisando de reparos, escadarias e espaço kids sujos e o chão do quarto sempre com areia. Nos restaurantes, a falta de atendentes também prejudicou o serviço, como as meninas estavam sobrecarregadas de trabalho, era comum faltar talheres, pratos e copos nas mesas e no buffet.

Iberostar Praia do Forte

Iberostar Praia do Forte – BA | Fonte: iberostar.com

Nós ficamos no andar térreo, o que foi ótimo, porque com criança e carrinho, descer e subir escadas é impossível. Pelo que eu percebi, os casais com filhos pequenos foram todos (ou quase todos) alocados no térreo. Achei bacana da parte do hotel essa iniciativa! No ato da reserva nós solicitamos um berço no quarto, e assim que chegamos ele estava lá. O berço não era lá grande coisa, parecia berço de hospital com grades de ferro e super fundo.  As grades não abaixavam ou soltavam, então era um sacrifício conseguir colocar o Pedro nele pra dormir, porque além de fundo, as grades eram altas. Confesso que não deu muito certo e acabamos dividindo a cama com o filhote…rs.

Eu optei por não levar o carrinho do Pedro, achei que ia ser um trambolho no carro por causa das malas, e foi a melhor coisa que eu fiz! O hotel oferece pros hóspedes carrinhos sem custo adicional, que podem, inclusive, ser retirados das dependências do resort para passeios externos. Passei a semana toda com um, o que foi super útil pra carregar as coisas do Pedro e no nosso passeio até a vila da Praia do Forte. O hotel também disponibiliza em cada um dos blocos uma cozinha específica para quem tem criança pequena. Na Copa do Bebê tem geladeira, filtro de água, microondas, esterilizador de mamadeira, escova pra lavar mamadeira, leites dos mais variados tipos, papinhas industrializadas e papinhas naturais feitas no próprio hotel sem adição de sal. Além da comidinha, também tem algumas frutas. Eu pouco usei esse serviço porque o Pedro já come a mesma comida que a gente, mas sempre que passava por lá tinha muitos pais na cozinha.

Sobre a comida, foi bem fácil alimentar o Pedro por lá. Além do restaurante principal, tem também outro que fica entre as piscinas e funciona quase o dia inteiro servindo snacks e petiscos. Como os dois funcionam no esquema de buffet, consegui restringir a alimentação dele à opções mais saudáveis, como temos costume aqui em casa. Apesar disso, nuggets, batata frita e hambúrguer não faltavam pra criançadinha…rs. Nos demais restaurantes os cardápios também tinham opção kids.

Como o Iberostar é um resort, o forte mesmo são as piscinas e a praia. As piscinas são divididas em dois tipos, as de atividades e as calmas. Pras crianças, elas são acordo com a faixa etária: uma maior, com um brinquedo enooorme em formato de barco que espirra água pra todos os lados e é o máximo, e uma menor, sem brinquedos, que fica dentro do complexo do espaço kids, onde também tem um berçário com trocador, brinquedos e serviço de babá (opcional e cobrado à parte), um mini cinema, uma brinquedoteca e um parquinho ao ar livre. O Pedro aproveitou bastante as piscinas e o espaço kids. Confesso que sou meio muito chata com limpeza, e como o ambiente não era dos mais limpinhos e tinha alguns brinquedos com peças pequenas, eu evitava deixar ele lá por muito tempo. O Lucy Club oferece um monte de atividades coordenadas pelos monitores do hotel pra crianças de 04 a 12 anos. Pra participar é só inscrever a criança e ela pode ficar desde manhã até o final da tarde brincando com a orientação dos monitores. Nesse aspecto achei que o hotel deixou a desejar pros menores. Apesar do espaço amplo, as atividades específicas pra crianças de 0 a 3 anos são poucas.

mundo ovo com br-horz

Piscinas infantis – Iberostar Praia do Forte | Fonte: mundoovo.com.br

Já pros adultos, não falta coisa pra fazer! Desde manhã cedo até de madrugada a equipe de recreação oferece as mais variadas atividades, de esportes, aula de ginástica e brincadeiras na piscina até o show noturno, que começa às 22h e cada dia tem um tema. Quem tem pique e vai com os avós pra pegar um “vale-vó”, como nós fizemos, ainda dá pra aproveitar a boate, que fica aberta até as 3h da madrugada.

DSC_0880

Pedro e papai| Fonte: Arquivo pessoal

 

DSC_0757

Na praia | Fonte: Arquivo pessoal

No nosso segundo dia de estadia passamos um baita susto com o Pedro, mas ficou tudo bem. O Restaurante Maresia, que fica próximo à piscina, só oferece colheres de plástico no horário do almoço, e como eu tinha esquecido de pegar a colher do Pedro, resolvi arriscar. Já no final do almoço, quando terminava de comer a fruta, ele mordeu e quebrou a colher na boca e ficou engasgado. Eu, que tenho pavor de engasgos e super me descontrolo quando eles acontecem, fiquei desesperada! Fomos ajudados por um casal que estava na mesa do lado e ele logo desengasgou. Em pouquíssimo tempo a equipe de salva vidas já estava no restaurante pra prestar socorro e nos levou até o Centro Médico, onde o Pedro foi examinado. Como o Centro Médico não é perto do hotel, é preciso solicitar que um mensageiro te leve até lá de carro e as consultas são cobradas a parte. No nosso caso, não pagamos nada.

Apesar do susto, passamos uma semana super gostosa lá na Bahia. O Pedro aproveitou horrores a viagem e ficou super dividido  entre praia e piscina…rs. Fomos também na vila da Praia do Forte, onde visitamos o Projeto Tamar, voltado para a conservação, cuidado e manejo de várias espécies de tartarugas marinhas e almoçamos no Restaurante Terra Brasil, que além de uma comida deliciosa, tem um cuidado todo especial com os pequenos.

Tamar

Projeto Tamar – Praia do Forte | Fonte: Arquivo pessoal

Pra quem busca uma viagem tranquila com os filhos num lugar lindo e aconchegante, a Praia do Forte é uma boa escolha que deu super certo com a gente!